Candidíase

Eiii Meninas e meninos, porque o assunto é de interesse de todos ..rsrsrs !!
Hoje eu quero falar de um assunto que incomoda muito a mulherada.
É  a  Candidíase.
Também conhecida como Monoliase vaginal,

Encontrei no Instagram a Dra.Livia Vieira,ginecologista ,uma fofa foi super gentil comigo e eu pedi que ela me ajudasse a responder algumas coisas sobre esse problema tão desconfortável.
Bom mandei a ela algumas perguntas para ela nos esclarecer algumas dúvidas.

Essas foram as perguntas: 

Caprichei nas perguntas ,porque sou curiosa sobre o meu corpo,todas devemos ser hein meninas.
O que é a candidíase ?
O que causa candidíase?
Como se manifesta?
A candidíase  não tratada corretamente pode gerar outros problemas?
Como por exemplo ferida no útero.
Você tem alguma recomendação para diminuir a candidíase recorrente?
Durante a gestação a candidíase pode ser mais frequente?
O uso contínuo da nistatina traz alguma risco a mulher ?
É recomendado algum tratamento para o parceiro também?
O uso do sabão neutro diminui a candidíase?
Como prevenir o Problema?
Como é que o homem pega ? Se o parceiro tiver e a mulher não, ele pode passar pra ela?
Tem alguma pesquisa ou suspeita que a candidíase atrapalhar na fertilidade da mulher?
Tenho sempre que passar a calcinha antes de usar?

A Dra.Livia respondeu de uma forma bem simples para que todos possam entender.
Segue o texto que ela mandou.

A Candidíase é uma infecção em vulva e vagina, causada por um fungo que habita normalmente nossa flora vaginal, mas que em determinadas condições, cresce e desenvolve a doença com seus respectivos sintomas.

É a segunda principal causa de corrimento vaginal patológico.
Pode cursar com prurido (coceira) vulvar e vaginal, sensação de ardência ou queimação no local, dor na relação sexual (dispareunia), corrimento branco e semelhante a "leite coalhado", vermelhidão na vulva e dor para urinar.

Alguns fatores predispõem à maior chance de infecção por candida: fatores que diminuem a imunidade (gestação, diabetes,uso de antibióticos, imunossupressores, corticóides), obesidade (dobras deixam a vulva e vagina mais úmidas), uso de calças apertadas e grossas (deixam a vulva quente e úmida), assim como uso de calcinhas de tecidos sintéticos (usar somente calcinha de algodão), higiene inadequada (usar protetor diário de calcinha, lavar a região íntima várias vezes ao dia, usar ducha vaginal - tudo isso contribui para o desequilíbrio da flora vaginal e desenvolvimento de infecções), uso de sabonetes neutros ou que não alterem o pH é o ideal.

Para evitar infecções recorrentes deve-se evitar os fatores ditos acima e manter uma alimentação equilibrada, não fumar, exercícios físicos regulares e evitar situações de estresse, pois são fatores que levam a diminuição da imunidade como um todo. 

O diagnóstico é através do exame ginecológico. Em casos de episódios repetitivos podem ser necessários outros exames.

O tratamento visa aliviar os sintomas e trazer o equilíbrio novamente para a flora vaginal. Geralmente é feito com medicação via oral, tópica (pomadas e cremes vaginais) e loções para banho de assento. NÃO DEVE-SE USAR MEDICAÇÃO PRESCRITA POR FARMACÊUTICO ou outra pessoa que não seja seu ginecologista. Uso de medicações erradas podem deflagrar consequências graves e ainda levar ao desenvolvimento de resistência pelo patógeno.

O não tratamento pode ocasionar infecções secundárias devido ao ato de coçar o local.
Não é de transmissão sexual, por isso o parceiro não precisa ser tratado. Somente em casos de episódios recorrentes, quando o médico avaliar a real necessidade.
Não tem nenhuma relação com a vida reprodutiva e fertilidade da mulher.

Espero que tenham gostado e esclarecido algumas das suas dúvidas.

Sigam a Dra.Livia no instagram @draliviavieiraginecologista 
CRM;141048
Saúde da mulher
Ginecologia
Pré-Natal
Estética Genital
Uroginecologia
Endoscopia Ginecológica.

Sigam o instagram do blog@molecamenina

Um comentário:

Itgirlsbrazil Dai Coelho disse...

Muito esclarecedor! Adorei as dicas